segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Da Prensa: Superman - As Quatro Estações

por
Renver
Há tempos eu to devendo uma resenha/review/análise dessa HQ, aproveito continuo aquela proposta de lançar vários posts sobre o Supermam. Começamos por um filme coreano e uma animação.

Bom, se eu falar que essa HQ foi um dos fatores responsáveis pelas 10 temporadas de Smallville... provavelmente vocês vão querer dar um tiro no PC de desgosto. Mas deixando de lado esse fato desagradável, essa HQ é magnífica e eu recomendo muito a sua leitura.

Antes breves informações:

Roterista: Jeph Loeb
Arte: Tim Sale
Colorização: Bjarne Hansen

Lançadas entre setembro e outubro de 1999 (no Brasil), em 4 edições. Cada uma das edições  representa uma estação do ano e respectivamente um ponto de vista diferente do Superman (por exemplo no Outono a história é narrada pelo Lex Luthor). E assim a trama se desenrola mostrando um Clark Kent tímido, introspectivo até um Superman confiante e frágil.

Apresentarei aqui 3 motivos pra você ler/comprar ou mesmo presentear alguém (especial e ligeiramente nerd) com essa revista:


1) O traço e a belíssima colorização. Deus do céu, aonde arranjaram esse colorista, Bjarne Hansen? Estranhamente é muito difícil achar alguma foto dele na internet. No máximo sua galeria de trabalhos. 
Reparem nessa página (clique na imagem para ampliá-la):
Superman As Quatro Estações - Verão, pág. 4 e 5
Agora compare com essas duas, lembrando que é o mesmo desenhista Tim Sale, porém, o colorista é diferente (Gregory Wright). Clique nas imagens para ampliá-las:

Longo Dia das Bruxas - Feriado Romano, pág.8
Dia das Bruxas - Loucura, pág.24

























Engraçado como vendo essas imagens, chega a ser irônico saber que Tim Sale é daltônico. Se você assistiu Heroes, talvez fique surpreso ao saber que era o Tim Sale que fazia os quadros que o personagem (drogado dependente químico) Issac Mendez pintava (para prever o futuro), clique aqui pra saber mais.


2) Um Jeph Loeb ainda não tão lesado, como esse roterista decaíu tanto! Hoje ele só faz trabalhos voltados pra ação descerebrada. No entanto, essa HQ tem diálogos e monólogos memoráveis, principalmente na edição 1 e 4 que são as melhores. Não vou mentir, algumas situações parecem meio desconexas e mau explicadas (exemplo, o plano do Luthor, eu juro que li e reli e não entendi direito como ele conseguiu fazer o Superman cair no plano). Mas no geral a história, o roteiro honesto e simples compensam isso de forma magistral.

Impressão minha ou na maioria das boas histórias do Superman ele dificilmente precisa dar um soco em alguém? Paixão e criatividade são a alma e o coração de tudo na vida, inclusive uma agradável história.


3) As Quatro Estações tem como mote principal o amadurecimento. Quando somos jovens (quase sempre) imaginamos que o mundo vai se dobrar a nossa vontade e quando caímos mostramos o quanto somos frágeis. Um ponto de vista egoísta as vezes pode custar uma amizade. E assim essa história mostra como um terceiro (Clark Kent/Superman) é visto pelo outros, tanto aqueles que o conhecem profundamente como aqueles que vêem apenas uma parte de quem ele realmente é.

---

Confesso que nessa resenha o meu lado pessoal pesou muito, mas a  força dessa HQ soa pra mim como uma bela música clássica. E as vezes lágrimas são inevitáveis.

 
É uma pena que mesmo Smallville usando muitos elementos dessa HQ (principalmente na primeira temporada) conseguiu se perder miseravelmente. Na verdade acredito quando a série resolveu evoluir sua cronologia o mais lenta (e bizarramente) possível praticamente decretou seu "fracasso".


Pra encerrar, fiquem com uma galeria de imagens da HQ (clique nas imagens para ampliá-las).

Reparem nos detalhes das imagens, como os tijolos nas paredes, as fissuras, o céu, determinados pisos, o sombreamento, as texturas, os contornos, os pelos do cachorro, as expressões visuais (principalmente das mulheres), etc.



Pra mim essa HQ transcende sua mída e se torna uma obra de arte. Parabéns  Bjarne Hansen e Tim Sale.   

Até mais pessoal.





7 comentários:

Rock Man disse...

Por um momento pensei que o Super estava dando um Kame Hame Ha na última imagem, no mais bom post Renver, vou baixar logo logo.

Ane Reis. disse...

Oie =)

Não sou muito fã dos heróis da DC rs... prefiro os da Marvel.

Gostei da referencia a música de Mozart ^^ bom post!

anereis.

mydearlibrary | bookreviews • music • culture
@mydearlibrary

Dr.Manhattan disse...

Renver, muitos argumentam que o Loeb em As 4 Estações, HA Azul e Demolidor Amarelo fez um bom trabalho por usar elementos do passado como muleta... concordas?

Renver disse...

Olha Dr dizem que a qualidade dos trabalhos dele caíram muito depois que o filho dele morreu...

Mas sei lá, na época do "Comando para Matar" ele já era o Loeb que conhecemos.

E outra são histórias boas, embora ainda não tenha terminado de ler HA Azul, mas dessa época (digamos a primavera do Loeb nas HQs) eu nunca li nada dele que seja da cronologia presente da época, nem sei se existe...

Mas é provável que o mérito das históias boas do Loeb seja em parte dos desenhistas também, que segurem as babaquices dele.

Reinaldo (ID secreto) disse...

Fala Renver, estava acompanhando seu post, que aliás ficou muito legal. Após terminar de ler é impossível não querer dar uma olhada na hq citada o que me fez procurar a hq, e olha que tenho um certo preconceito sobre o Jeph Loeb e Smallville.

Toon Link, o herói valente que derrotou todos os gigantes disse...

Vergonhosamente ainda não li essa história.

e não fale mal de Comando Para Matar.

Vá pro inferno VOCÊ! ahhehaeuaehu

Clark Kent disse...
Este comentário foi removido pelo autor.

Postar um comentário

Todos os comentários e críticas são bem vindos desde que acompanhados do devido bom senso.