terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Climatinê: Superman Doomsday

por
Renver
Se tudo der certo (ando meio desanimado) estarei começando com esse post uma série de artigos sobre o Superman, aonde pretendo analisar arcos históricos nas HQs, animações e determinadas curiosidades do escoteirão. Vamos começar pela animação Superman Doomsday de 2007/2008 (75 minutos) que aqui no Brasil ganhou o (previsível) nome A Morte do Superman.

Baseado nos famosos arcos dos anos 90 A Morte do Super-Homem e O Retorno do Super-Homem. A animação começa com o Apocalipse sendo descoberto numa escavação (arqueológica?) e logo em seguida liberto. Dái pra frente é destruição interrupta. Até ambos morrerem. Depois de algum tempo o Super volta usando um uniforme negro, no entanto volta com uma personalidade autoritária. falar mais que isso é soltar spoiler desnecessário (embora sinceramente isso não faça tanta diferença). Fiquem com o trailer:


Fato que após o lançamento da animação muitos fãs alardearam que a HQ era melhor. E por esse motivo (válido?) decidi ler essas pérolas. Resolvendo esse "importante" impasse.
 

E o que eu achei delas? 


Antes porém vamos há um breve contexto histórico:

A proposta de matar o Supermam surgiu devido as vendagens baixas... a DC resolveu dar uma sacodida no universo do herói. E assim Superman teve uma luta até a morte contra um inimigo (Apocalipse) surgido sem grandes explicações (na animação explicam um pouco mais a origem dele).

Essa história chocou o mundo todo, lembro que na época não tinha nem meus 8 anos e vi a notícia passando no Aqui-Agora - um jornal precursor do estilo do Datena, aonde o Gill Gomes surgiu na TV.

Obviamente em menos de um ano após a publicação da Morte, finalmente foi publicado o aguardíssimo (e na época ainda não tão previsível) Retorno do Super-Homem.


Sobre o Material Original:

Serei sincero, ambas histórias da HQ são medíocres e não passam de um massa veio descerebrado. A Morte Do Super-Homem, principalmente. Sendo um pouco menos pior O Retorno do Super-Homem, pelo menos do capítulo XI em diante essa historia consegue ficar relativamente interessante e bem menos sofrível de se acompanhar.

No entanto, verdade seja dita por mais escroto que seja o material original, ele tem alguns elementos interessantes, vamos enumerá-los:

1) Os 4 supermans. Depois que o original morre, apareceram 4 outros supermans. Isso foi uma proposta da DC tentando mostrar ao público diferentes versões do Superman e quem sabe agradar este com alguma delas. Um modo de testar um novo modelo do herói.

Aço (John Henry Irons)

Superman de Visor (ou como ele se denomina: O Último filho de Krypton)

Superboy

Superciborgue

Ok sinceramente... o Aço tem um background interessante, mas, muito mau elaborado (leia-se cansativo e clichê). O Superman de Visor tanto faz. Deles o Superboy é o mais legal de se acompanhar. E o Superciborgue sempre te deixa meio desconfiado, embora no começo seja o que mais tem a  personalidade do super original.

2) A relação do Superciborgue e do Superman de Visor com o Superman original...ambos são na sua origem inimigos dele, mas um deles age por maldade enquanto outro encarna (tardiamente e de um modo trágico) tudo que o verdadeiro superman representa.

 3) Depois que você leê tudo algumas pontas soltas da HQ (O Retorno do Super-Homem) começam a fazer sentido. Por exemplo, como Superman retorna. Aqui vai spoiler: na verdade ele nem morreu, o corpo dele entrou numa espécie de coma (depois de apanhar que nem um cachorro, lutar exaustivamente). Interessante é que o aparecimento do Superman de Visor influencia diretamente no retorno do original. Lá vai spoiler de novo: Se não em engano acelerando o restabelecimento/cura do corpo em coma do Superman.


Conclusão:

Por mais sensacional que seja a luta do Supermam com o Apocalipse (coloque no 1:45 min, infelizmente não pude incorporar o vídeo). A animação é de fato bem mediana no que tange o roteiro (olha que na época que eu vi, nem tinha lido o material original)... No máximo se compara há um episódio regular do desenho da Liga da Justiça.

Mas aí Renver qual é a melhor? Eu diria que animação é bem mais apreciável que o material original, no entanto, você assisti ela com a impressão tipo "hum legal, mas só isso?! puxa esperava mais dessa história". E acreditem isso é perigoso (vocês vão entender quando lerem o último parágrafo).

Acredito que a reclamação dos fãs se deva a expectativa de que a animação pudesse reutilizar os elementos bons (e relativamente interessantes) da HQ de um modo mais eficiente. Mas a animação optou por  limar esses e outros fatos "complexos" aliados a cronologia do super da época (como um Lex Luthor cabeludo e barbado e uma supergirl com poderes de invisibilidade).

Eles tão errados? Olha sinceramente não... E me perdoem a verborragia, mas esperar que essa animação seja estupenda sendo que ela veio de algo exclusivamente caça níquel com raros lampejos qualitativos, pra mim isso não passa de um devaneio (embora de modo algum impossível). Algo estupidamente emotivo e massa veio não merece ser transformado numa obra de arte!


Bom é isso pessoal, recomendo que vejam a animação e fujam das HQs aonde ela foi inspirada... Ou que simplesmente nem vejam a animação (afinal pode te dar vontade de ler a HQ) como me aconteceu...

7 comentários:

Rock disse...

Super-Homem Cyborgue, o supra sumo do massa véio.

Anônimo disse...

Lilian

Algo estupidamente emotivo e massa veio

É bem por aí mesmo a animação e o gibi forçam truncadamente o leitor a ficar triste.

Macgaren disse...

A Morte do Super-Homem. a única revista do escoteiro que eu tenho...(acho que as revistas do retorno também estão por aqui jogadas em algum canto.)
Guardadas as devidas proporções eu gosto dela. sobre a animação, não se preocupe: não corro o risco de assistir.

Dr.Manhattan disse...

Uoooouuu!! Muito maneiro esse quebra entre os dois na animação.

A morte do Superman, só conheço meRmo aquela ocorrida no Área171 (putz), a original eu não cheguei a ler... li o Retorno... mas não achei lá grande coisa... é como o Renver citou: história tipicamente massaveia com propósitos financeiros, hehehe...

Aliches Pickles disse...

que merda, nem tinha visto o desenho |:
vou importar xD
Vlw Renver |:

Alê disse...

Em contrapartida, pra mim que já tinha lido as originais, era mais do que óbvio que a animação se sairia melhor, hehe!

MARCELO SOARES disse...

Cara, acho que a animação foi por um caminho mais adequado: explica melhor a origem do Apocalipse, corta o numero de Supers de uma forma que ajuda a história (e se a hq tivesse ido por esse caminho podia ter rendido até algo mais interessante), mas como disse a segunda parte é arrastada demais e até anticlimax.

Mas como você disse, não dava para esperar algo fantástico vindo de onde veio, mediano já está bom mesmo.

Postar um comentário

Todos os comentários e críticas são bem vindos desde que acompanhados do devido bom senso.