quinta-feira, 1 de março de 2012

Especial Oscar 2012: Lista de vencedores e comentários rancorosos

por
Toon Link

Então, vamos às principais considerações sobre o que aconteceu na cerimônia do Oscar 2012 que ocorreu no último domingo.

O Artista se sagrou o grande campeão da noite vencendo o prêmio de melhor filme e melhor diretor e levando mais 3 categorias somando 5 Oscars. A Invenção de Hugo Cabret de Martin Scorsese também levou 5 prêmios, mas todos das chamadas categorias técnicas.

Veja a lista completa dos indicados e vencedores em todas as categorias (vencedores em negrito).

Filme

O Artista
Os Descendentes
Tão Forte e Tão Perto
Histórias Cruzadas
A Invenção de Hugo Cabret
Meia-Noite em Paris
O Homem que Mudou o Jogo
A Árvore da Vida
Cavalo de Guerra

Diretor

Terence Mallick por A Árvore da Vida
Martin Scorsese por A Invenção de Hugo Cabret
Woody Allen por Meia-Noite em Paris
Michel Hazanavicius por O Artista
Alexander Payne por Os Descendentes

Ator

Demián Bichir por A Better Life
Gary Oldman por O Espião que Sabia Demais
George Clooney por Os Descendentes
Jean Dujardin por O Artista
Brad Pitt por O Homem que Mudou o Jogo

Atriz

Viola Davis por Histórias Cruzadas
Glenn Close por Albert Nobbs
Rooney Mara por Millenium - Os Homens que não Amavam as Mulheres
Meryl Streep por A Dama de Ferro
Michelle Williams por Sete Dias com Marilyn

Ator Coadjuvante

Max Von Sydow por Tão Forte e Tão Perto
Christopher Plummer por Beginners
Kenneth Branagh por Sete Dias com Marilyn
Nick Nolte por Guerreiro
Jonah Hill por O Homem que Mudou o Jogo

Atriz Coadjuvante

Berenice Bejo por O Artista
Jessica Chastain por Histórias Cruzadas
Melissa McCarthy por Missão Madrinha de Casamento
Janet McTeer por Albert Nobbs
Octavia Spencer por Histórias Cruzadas

Roteiro Adaptado

Os Descendentes - Alexander Payne and Nat Faxon & Jim Rash
A Invenção de Hugo Cabret - John Logan
Tudo Pelo Poder - George Clooney & Grant Heslov e Beau Willimon
O Homem que Mudou o Jogo - Steven Zaillian e Aaron Sorkin, história de Stan Chervin
O Espião que Sabia Demais - Bridget O'Connor & Peter Straughan

Roteiro Original

O Artista - Michel Hazanavicius
Missão Madrinha de Casamento - Annie Mumolo & Kristen Wiig
Margin Call: O Dia Antes do Fim - J.C. Chandor
Meia-Noite em Paris - Woody Allen
A Separação - Asghar Farhadi

Animação

Um Gato em Paris - Alain Gagnol e Jean-Loup Felicioli
Chico & Rita - Fernando Trueba e Javier Mariscal
Kung Fu Panda 2 - Jennifer Yuh Nelson
Gato de Botas - Chris Miller
Rango - Gore Verbinski

Filme Estrangeiro

Bullhead (Bélgica) - Michael R. Roskam
Monsieur Lazhar (Canadá) - Philippe Falardeau
A Separação (Irã) - Asghar Farhadi
Footnote (Israel) - Joseph Cedar
In Darkness (Polônia) - Agnieszka Holland

Fotografia

O Artista - Guillaume Schiffman
Millenium - Os Homens que não Amavam as Mulheres - Jeff Cronenweth
A Invenção de Hugo Cabret - Robert Richardson
A Árvore da Vida - Emmanuel Lubezki
Cavalo de Guerra - Janusz Kaminski

Direção de Arte

O Artista - Laurence Bennett (Design de Produção) e Robert Gould (Decoração de Set)
Harry Potter e as Relíquias da Morte Parte 2 - Stuart Craig (Design de Produção) e Stephenie McMillan (Decoração de Set)
A Invenção de Hugo Cabret - Dante Ferretti (Design de Produção) e Francesca Lo Schiavo (Decoração de Set)
Cavalo de Guerra - Rick Carter (Design de Produção) e Lee Sandales (Decoração de Set)
Meia Noite em Paris - Anne Seibel (Design de Produção) e Hélène Dubreuil (Decoração de Set)

Figurino

Anônimo - Lisy Christl
O Artista - Mark Bridges
A Invenção de Hugo Cabret - Sandy Powell
Jane Eyre - Michael O'Connor
W.E. - Arianne Phillips

Documentário

Hell and Back Again - Danfung Dennis e Mike Lerner
If a Tree Falls: A Story of the Earth Liberation Front - Marshall Curry e Sam Cullman
Paradise Lost 3: Purgatory - Joe Berlinger e Bruce Sinofsky
Pina - Wim Wenders e Gian-Piero Ringel
Undefeated - TJ Martin, Dan Lindsay e Richard Middlemas

Curta Documentário

The Barber of Birmingham: Foot Soldier of the Civil Rights Movement - Robin Fryday e Gail Dolgin
God is the Bigger Elvis - Rebecca Cammisa e Julie Anderson
Incident in New Baghdad - James Spione
Saving Face - Daniel Junge e Sharmeen Obaid-Chinoy
The Tsunami and the Cherry Blossom - Lucy Walker e Kira Carstensen

Montagem

O Artista - Anne-Sophie Bion e Michel Hazanavicius
Os Descendentes - Kevin Tent
Millenium - Os Homens que não Amavam as Mulheres - Kirk Baxter and Angus Wall
A Invenção de Hugo Cabret - Thelma Schoonmaker
O Homem que Mudou o Jogo - Christopher Tellefsen

Maquiagem

Albert Nobbs - Martial Corneville, Lynn Johnston e Matthew W. Mungle
Harry Potter e as Relíquias da Morte Parte 2 - Nick Dudman, Amanda Knight e Lisa Tomblin
A Dama de Ferro - Mark Coulier e J. Roy Helland

Música - Trilha Sonora Original

As Aventuras de Tintin: O Segredo do Licorne - John Williams
O Artista - Ludovic Bource
A Invenção de Hugo Cabret - Howard Shore
O Espião que Sabia Demais - Alberto Iglesias
Cavalo de Guerra - John Williams

Música - Canção Original

"Man or Muppet" de Os Muppets - Letra e música de Bret McKenzie
"Real in Rio" de Rio - Letra de Siedah Garret, música de Sergio Mendes e Carlinhos Brown

Curta metragem de Animação

Dimanche/Sunday - Patrick Doyon
The Fantastic Flying Books of Mr. Morris Lessmore - William Joyce e Brandon Oldenburg
La Luna - Enrico Casarosa
A Morning Stroll - Grant Orchard e Sue Goffe
Wild Life - Amanda Forbis e Wendy Tilby

Curta metragem

Pentecost - Peter McDonald e Eimear O'Kane
Raju - Max Zähle e Stefan Gieren
The Shore - Terry George e Oorlagh George
Time Freak - Andrew Bowler e Gigi Causey
Tuba Atlantic - Hallvar Witzø

Montagem de Som

Drive - Lon Bender e Victor Ray Ennis
Millenium - Os Homens que não Amavam as Mulheres - Ren Klyce
A Invenção de Hugo Cabret - Philip Stockton e Eugene Gearty
Transformers: O Lado Oculto da Lua - Ethan Van der Ryn e Erik Aadahl
Cavalo de Guerra - Richard Hymns e Gary Rydstrom

Mixagem de Som

Millenium - Os Homens que não Amavam as Mulheres - David Parker, Michael Semanick, Ren Klyce e Bo Persson
A Invenção de Hugo Cabret - Tom Fleischman e John Midgley
O Homem que Mudou o Jogo - Deb Adair, Ron Bochar, Dave Giammarco e Ed Novick
Transformers: O Lado Oculto da Lua - Greg P. Russell, Gary Summers, Jeffrey J. Haboush e Peter J. Devlin
Cavalo de Guerra - Gary Rydstrom, Andy Nelson, Tom Johnson e Stuart Wilson

Efeitos Visuais

Harry Potter e as Relíquias da Morte Parte 2 - Tim Burke, David Vickery, Greg Butler e John Richardson
A Invenção de Hugo Cabret - Rob Legato, Joss Williams, Ben Grossman e Alex Henning
Gigantes de Aço - Erik Nash, John Rosengrant, Dan Taylor e Swen Gillberg
Planeta dos Macacos: A Origem - Joe Letteri, Dan Lemmon, R. Christopher White e Daniel Barrett
Transformers: O Lado Oculto da Lua - Dan Glass, Brad Friedman, Douglas Trumbull e Michael Fink


Meryl Streep e seu terceiro Oscar


Cerimônia

Primeiramente vou falar da cerimônia em si, embora eu já esteja tanto de saco cheio de Oscar que fique difícil. A cada dia que passa a cerimônia é mais banalizada e sem relevância nenhuma, e as decisões tomadas nos últimos anos só comprovam isso.

As tais decisões foram tomadas porque a cerimônia do Oscar com o passar dos anos cada vez mais perde audiência, o que eu diria que é até um fenômeno normal por hoje em dia a TV dividir suas atenções com a internet.

Antigamente o Oscar tinha muito mais peso para mostrar o que supostamente é bom e relevante do ano no cinema do que tem hoje quando com internet qualquer um tem acesso a várias listas de melhores do ano, tem a opção de conhecer novos filmes, e nem sempre da forma quadrada e arcaica como o Oscar funciona.

Partindo disso ao invés da direção do Oscar se concentrar em mostrar que a premiação ainda é importante, que o mundo do cinema envolve um grande número de profissionais e que a história deve ser preservada, enfim, não deixar de manter sua pose como a principal premiação do meio o que vemos nos últimos tempos foi uma verdadeira palhaçada para tentar conseguir mais audiência.


James Franco vestido de mulher em 2011, vergonha alheia


Olhando para as premiações dos últimos 4 ou 5 anos podemos perceber isso enumerando os fatos:

- Os caras fodões, que realmente tiveram relevância pro cinema e que não tem um Oscar (diferente de profissionais como Renee Zewelguer, Cuba Godding Jr. e Sandra Bullock) recebem um prêmio honorário, mas não podem subir ao palco e fazer um discurso de agradecimento porque vai cansar os adolescentes fúteis que estão ali pra ver o clipe do Crepúsculo.

- Clipezinhos idiotas e supostamente descoladinhos estilo MTV Movie Awards, que na premiação da MTV ainda soam verdadeiros e quase sempre divertidos, no meio da premiação que não estão de acordo com o perfil das escolhas dos velhos.

- O trabalho de verdade dos profissionais não é mostrado para o publico. O prêmio de melhor cinematografia (ou direção de fotografia) muito mal mostra 1 segundo de cada filme, quando não apenas uma única imagem como já aconteceu, assim como as trilhas sonoras não são minimamente apresentadas e quando são fazem uma coisa muito escrota, como uma apresentação de dança de rua com a música. Enquanto isso clipes que não servem para nada estão ali, querendo integrar o público, e falhando.

- Tentativas idiotas de querer incluir no mesmo balaio as porcarias que a molecada gosta, aí você é obrigado a ver menção à Crepusculo em clipes sobre "os filmes marcantes de todos os tempos" ou os "clássicos do terror"("VÁ A MERDA PORRA!") e é obrigado a ver a cara do Adam Sandler inúmeras vezes comentando sobre os filmes da sua vida, num ano que ele destruiu muitas com suas comédias. Nem comento o fato do Justin Bieber aparecer em um desses clipes engraçadinhos porque teve o mínimo de contexto a sua aparição idiota só pra chamar a atenção das menininhas, mas O QUE RAIOS JUSTIN BIEBER TEM A VER COM CINEMA?

- Como aconteceu esse ano e vem acontecendo nos últimos, as canções indicadas ao prêmio de melhor canção original não foram apresentadas. Mas porque raios a parte que mais tinha potencial de integrar o publico adolescente simplismente é limada da festa? Seria porque há muito tempo as seleções sempre são uma merda, com músicas que ninguem faz questão de ouvir? Ou as listas são tão fodas que "Guaranteed" do Eddie Vedder, "Gran Torino" de Jamie Cullum e "The Wrester" de Bruce Springsteen são canções temas não boas o suficiente para essa lista?


Martin Scorsese


Aí você se pergunta: se querem tanto chamar mais a audiência, porque em 2010 não indicaram O Cavaleiro das Trevas, filme aclamado pela crítica e principalmente pelo público, ao prêmio principal como muitos cinéfilos apoiariam?

Porque na academia reina o gosto de "um monte de velhos" que não percebem as mudanças do cinema, que pegam um dos filmes mais importantes e influentes da década de 00 como Cidade de Deus e não são capaz de considerá-lo nem para uma lista de 5 melhores filmes em lingua estrangeira do ano.

Quantos dos filmes indicados ao Oscar na última década realmente representaram a cara do cinema neste período? Os clássicos dos últimos tempos realmente concorreram ao Oscar? Pra mim desde Beleza Americana um filme realmente marcante não tem um Oscar de melhor filme nas mãos, e poucos foram os que tiveram o agraciamento de terem sido indicados (como um Bastardos Inglórios da vida) e ficarem chupando dedo por um filme apenas correto que ninguém mais se lembra.


Aí agora eles me vem e cometem a pior tragédia que o OScar poderia receber desde suas primeiras edições, voltar com uma lista gigante de indicados a melhor filme, onde, na boa, quem vai dar importância ao fato de Tão Forte e tão Perto ter sido indicado junto com outros 8 filmes? Hoje só interessa o vencedor e muito mal.


Os Premiados

Não é patriotismo nem nada, mas Sergio Mendes e o Carlinhos Brown ("nada me atinge!") deveriam ter ganho o prêmio de melhor canção. Mas os votantes realmente não estavam preparados para algo diferente e foi mais fácil premiar algo envolvendo os adorados Muppets, mesmo que fosse qualquer coisa. E o prêmio de melhor canção foi a mesma merda de sempre, aliás, as escolhas são tão boas que alguém liga ou se lembra de quem vence isso?




O Artista se sagrou o grande campeão. Eu não vi o filme "mas minha filha numero um viu e disse que é muito bom" mas acredito que dessa vez tenham escolhido um filme minimamente merecedor, ou mesmo que não seja, que pelo menos apresenta uma coisa nova em relação à industria, mesmo que isso seja uma simples homenagem à história. Se o filme tiver metade do pique e inspiração para falar sobre o tema da decadência do cinema mudo como Cantando na Chuva eu já fico feliz.

Sobre os atores eu cago e ando, mas achei uma pena a Viola Davis ter perdido o prêmio de atriz, ela merecia.

Também queria muito que O Artista leva-se o prêmio de roteiro original, só pra ver um monte de gente comentando "mais ué, o filme não é mudo?" hehehhe

Sobre o prêmio de melhor animação, me sinto envergonhado por não ter assistido ainda à Rango. Também já comentei anteriormente que a ausência de As Aventuras de Tintim foi absurda já que ele era um provável vencedor.




Oscar muda suas regras baseado no hype do filme, foi isso que levou O Artista a levar o prêmio de melhor trilha sonora original, sendo que o compositor faz reinterpretações de outras trilhas já usadas (ou seja, que não são originais para o filme), inclusive temas de Bernard Herrmann para Um Corpo que Cai.

Isso é uma coisa que me irrita um pouco, filmes com trilhas ótimas eram inelegíveis por terem o minimo de adaptação de outras obras, como a ótima de Sangue Negro composta pelo multiinstrumentista Jhonny Greenwood (guitarrista do Radiohead, por sinal).

Vale lembrar tambem que fizeram a mesma coisa para o fraco Quem Quer ser um Milionário vencer aquele inexplicável prêmio de melhor trilha que ele recebeu em 2009, sendo que basicamente o filme não possui sequer 3 faixas instrumentais.




Então é isso. Mais um Oscar e mais oportunidades disperdiçadas de reconhecer quem provavelmente merecia por falta de hype (Tilda Swinton em atriz, Daniel Rezende em edição, Tintim em filme, Drive em tudo e por aí vai...).

Até o ano que vem, e fico na esperança de que dessa vez ao menos Christopher Nolan seja reconhecido pelo seu trabalho na trilogia do Bátema.

2 comentários:

Corto de Malta disse...

Há anos que o produtor Harvey Weinstein manipula o Oscar. Ano passado com O Discurso do Rei e esse ano com O Artista isso ficou explícito até demais.

Todo filme que esse kra faz tem 90% de chance de vencer os prêmios principais. Até Cidade de Deus é um exemplo. Ele foi representante brasileiro num ano e foi excluído na última peneira.

No ano seguinte o Harvey viu o filme e deu um jeito de Cidade de Deus concorrer a Montagem, Fotografia, Diretor.

FabianoCaldeira. disse...

"Porque na academia reina o gosto de "um monte de velhos" que não percebem as mudanças do cinema, que pegam um dos filmes mais importantes e influentes da década de 00 como Cidade de Deus e não são capaz de considerá-lo nem para uma lista de 5 melhores filmes em lingua estrangeira do ano."

Cidade de Deus é um lixo e demais produtos iguais a ele também o são.

Postar um comentário

Todos os comentários e críticas são bem vindos desde que acompanhados do devido bom senso.