sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Alien - Uma Franquia Baseada Unicamente em Estupro!

por
Felippe Maromba
David Dietle, do site Cracked, escreveu um texto onde analisa o lado mais perturbador dos filmes da série Alien. Confira:

Terror não é complicado. Você descobre o que faz com que o seu público fique desconfortável e depois basta apresentá-lo a eles da forma mais perturbadora possível.

É por isso que os filmes de terror que visam jovens do sexo masculino contêm alusões vagas à homossexualidade - é o que faz com que a platéia fique nervosa. Então, se você tem um país com medo de que os comunistas estão secretamente se infiltrando sociedade, você vai lhes apresentar Invasion of the Body Snatchers (1956). Se você tem um país saindo de uma recessão e em altas taxas de crimes violentos em 1980, você faz um Sexta-Feira 13 .

 Bem, se as pessoas tem medo de Dreadlocks, você faz um Predador ;)


O que invariavelmente nos traz até o ESTUPRO!
Mas espere um momento... Esse post não era sobre o filme da franquia Aliens? Sim, toda idéia central dele gira em torno do estupro...
E não apenas o que o Joss Whedon escreveu…

Não estou brincado. Não quero pegar exemplos isolados e tirar de um contexto pra justificar isso Vamos deixar o roteirista Dan O'Bannon explicar:

"Isso é uma coisa que perturba todas as pessoas com relação ao sexo. Então vou usar isso pra atacar o público, vou ataca-los sexualmente. E não estou mirando as mulheres da audiência, e sim, os homens, pra faze-los cruzar as pernas com cenas de estupro oral, homossexualismo, nascimento... A coisa coloca ovos pela sua garganta o filme inteiro.”
Ouvindo este homem proferir as palavras "Eu estou indo para atacá-los sexualmente" é mais aterrorizante do que todos os filmes da franquia combinados.
A fonte disso vem do documentário “Alien Saga”.
Na época, O'Bannon estava saindo de Dark Star, uma comédia dirigida pelo mestre do horror John Carpenter. Dark Star acabou sendo um fiasco tão grande que como vingança O'Bannon prometeu fazer um filme que lhe permitiria fazer o público assistir um estupro bem debaixo de seus narizes. E Ainda gostar disso...


O público já tem conhecimento que a criatura foi projetada pelo artista plástico suíço HR Giger. O'Bannon já havia trabalhado com Giger em uma tentativa fracassada de uma versão pré-David Lynch do filme Duna. E ficou claro que a arte dos biomecanóides sexuais ficou perambulando na cabeça de O'Bannon, o que ajudou em muito no clima sombrio do filme e suas estética.

Uma vez que o filme teve sinal verde, O'Bannon sugeriu ao diretor Ridley Scott que visse o trabalho de Giger, e depois de ver o Necronomicon do artista plástico, que nada mais era que uma coleção de arte misturada com imagens sexuais - Scott decidiu que ele tinha que ter Giger para projetar a criatura.

Trazer Giger a bordo acabou por ser a decisão que deu forma a todo o projeto do filme (esteticamente falando) e que gerou uma franquia e algumas das imagens mais conhecidas em toda a história do cinema. Giger desenhou o alienígena, a nave abandonada e um tripulante, e a paisagem alienígena. Em cada minúcia o filme é carregado com pênis e vaginas galácticas do espaço.

Esquerda: O Necronomicon de Giger. Direita:Conceito do Alien. Direita e esquerda: Muitos pênis...


.
Vaginas espaciais.

Nenhuma das imagens sexuais no filme é não intencional. Por exemplo, na foto acima os tripulantes humanos estão “invadindo” a nave alienígena, então na verdade esses são “espermatozóides do tamanho de homens” rastejando pro dentro de vaginas. A partir daqui, o personagem de John Hurt, Kane, sonda as profundezas do “ventre” da nave para encontrar uma paisagem infinita de ovos, se você estiver prestando atenção a toda a analogia com esperma isso faz muito sentido.


Ele entra em contato com um dos ovos, que se abre em um “nascimento” por isso neste momento Ridley Scott está, essencialmente, esfregando na audiência uma aula de educação sexual.
O alienígena salta, se prende ao rosto de Kane através do capacete e se aprofunda na garganta simultaneamente sufocando-o em uma exibição de estupro masculino óbvio.


O ciclo de vida do alien é parecido com a de muitas vespas parasitas, o interior do face-hugger é uma vagina e um pênis que se uniram para forçar sua semente garganta abaixo de sua vítima.

PENISGINA!

E só fica pior a partir daqui.
Então, vamos piorar ainda mais. Ficamos sabendo que uma vez que o alien se prende, não pode ser separado antes de sua carga ser depositada, ou ele vai matar sua vítima. O que, você pode notar, é o “modus operandi”, ato por ato, de um estuprador violento. Kane está literalmente te forçando a olhar durante 20 minutos, um besourão forçando um homem a praticar felação...

E depois vem a gravidez indesejada do bebê do estuprador.

Tem até os enjôos matinais…

Pelo menos não são os 9 meses normais... sem o inchaço e vômitos, e os picos hormonais que deixam as mulheres infelizes. Mas no filme a gravidez de um homem resulta em dor de garganta e a necessidade de se comer muito espaguete. E note, a dor de garganta aparece por ter sido penetrada com violência e que ele, felizmente, não se lembra.

O nascimento, por outro lado, é outra história. Os cineastas foram propositadamente agressivos em sua maneira de apresentar o nascimento do alienígena tão violentamente quanto possível. Isso era tanto uma representação simbólica de ideias tipicamente ignorantes dos homens sobre a gravidez e o nascimento, de como é doloroso e nojento e acaba deixando marcas no corpo de onde vem os bebês.


E claro, é intencional o fato do “bebê” se parecer com um pênis ereto ao sair do peito de um homem.
De qualquer forma…
Pênis, pênis… Pênis em todo lugar!!!!

Na nave.

A cabeça do Alien adulto.


...com uma ereção dentada que penetra suas vítimas


Até o andróide tenta matar a Ripley DESTA forma…


Na sequência, James Cameron mudou um pouco as coisas, dando aos face-huggers uma aparência mais parecida com uma vagina. Até que deu uma suavizada...


Mas não se engane, ainda temos muitas penetrações em homens.

Até que não tem muita coisa sexual nessa imagem...

Claro que este não é o primeiro artigo a perceber todo esse simbolismo. Um pouco de pesquisa logo revela análises ao longo dos anos sugerindo que as representação sexuais do filme Alien são realmente uma representação do sexo e do ato sexual em si. Muitos sugeriram que todo visto é uma representação do Id em uma metáfora da negação das mulheres em conceber bebeês.

As imagens não apenas terminam com uma cavalgada esmagadora de ereções escondidas à vista de todos e vários atos de penetração forçada. Há mesmo algumas referências leves a falha no controle de natalidade:


Toda a série continua com esta discussão, com cada episódio focando em torno da forte liderança feminina de Ripley, enquanto todos os homens são estuprados e assassinados pelos alienígenas. A série é creditada por criar o primeiro verdadeiro herói de ação feminina na Ripley de Sigourney Weaver, embora, ironicamente, ela seria originalmente um homem em uma versão prévia do roteiro,  justamente pra deixar as coisas mais interessantes. A única outra mulher no filme original só faz o papel de choramingar até que é estuprada até a morte.


E como disse O´Bannon: “Esse filme todo é baseado em estupro interespécies..."

Um comentário:

Anônimo disse...

Lilian

Sabia de todas essas paradas de símbolos fálicos... mas isso tudo é muito perturbador

Postar um comentário

Todos os comentários e críticas são bem vindos desde que acompanhados do devido bom senso.