sexta-feira, 2 de maio de 2014

Top Max: 10 Momentos Inesquecíveis de Ayrton Senna na Fórmula-1

por
Corto de Malta


O Rei de Mônaco. O Rei da Chuva. Tricampeão do Mundo. O Maior Piloto de Todos Tempos. Mito. Herói. Muitos adjetivos são usados para se referir a Ayrton Senna.

Ontem se completaram 20 anos da morte de Senna. Vamos abrir um espaço para relembrar 10 momentos que o tornaram um fenômeno.





10 - Monte Carlo 1984 -  O Grande Prêmio que Nunca Acabou



Grande Prêmio de Mônaco 1984. Em meio a uma grande chuva um ainda novato Ayrton Senna faz uma corrida brilhante no mais belo e difícil circuito de rua do mundo. Mesmo com o carro modesto da Lotus ultrapassa vários adversários incluindo o grande campeão Nikki Lauda e caça impiedosamente o primeiro colocado, o já consagrado Alain Prost, o "Professor".

Infelizmente a corrida é interrompida pelos fiscais de prova devido ao tempo, deixando Senna inconformado.

Era só o começo dessa história...








9 - Senna Pega Carona com Mansell



Após abandonar o GP da Inglaterra em 1991, Senna vê seu também rival e amigo o britânico Nigel Mansell vencendo em casa e numa atitude inusitada decide pegar carona com ele até os boxes. Um fiscal até tenta impedir os dois, mas não consegue. Naquele ano Senna se tornaria campeão mundial pela terceira e última vez.

Um dos momentos mais célebres da Fórmula-1 que na verdade não era tão raro assim. Não só pilotos já haviam pego carona uns com os outros (hoje isso é proibido), mas uma vez o também brasileiro Nelson Piquet deu carona pra TRÊS pilotos de uma vez.







8 - Suzuka 1988 - Senna Conquista o Mundo



Um dos momentos de maior superação da carreira de Ayrton Senna. O piloto brasileiro precisava vencer o Grande Prêmio do Japão de 1988 para ser campeão do mundo pela primeira vez, em briga direta pelo título com seu arquirrival (e agora companheiro de equipe na Mclaren) Alain Prost.

 As coisas começam mal com uma pane no motor de Senna, que fica pra trás, com Prost abrindo uma vantagem de 17 segundos, mas surpreende o mundo todo com uma fantástica corrida de recuperação em direção a um título conquistado de maneira emocionante.







7 - Tamburello - A Curva da Tragédia



Infelizmente, não há como falar de Ayrton Senna sem falar do fatídico GP de San Marino em 1 ° de maio de 1994. Senna agora pilotava uma Williams com vários problemas contra a Benneton de Michael Schumacher que ele acreditava estar usando dispositivos eletrônicos ilegais para vencer as corridas. No treino de sexta-feira Rubens Barrichello sofreu um acidente grave na curva Tamburello. No sábado o pior acontece. E o austríaco Roland Ratzenberger morre na mesma curva. No domingo, durante o Grande Prêmio, Senna briga pra manter seu carro a frente do de Schumacher quando a barra de direção da Williams quebra na mesma Curva Tamburello, levando o brasileiro de encontro ao muro. Senna foi levado ao hospital e dado como morto oficialmente horas depois...

Muitos, acreditam, porém, que ele morreu na pista e isso foi ocultado para que a prova não fosse cancelada. O Brasil inteiro ficou de luto e imagens de seu funeral cercado por familiares, amigos, rivais (incluindo rival e agora amigo Alain Prost que carregava o caixão) e uma verdadeira multidão ainda hoje são impressionantes.







6 - Senna Vs. Prost - A Maior Rivalidade da História da F-1


Entre muitos capítulos emocionantes, a trama da rivalidade entre Senna e Prost chegou ao ápice nas temporadas de 1989 e 1990. Durante o Grande Prêmio do Japão de 1989 Prost joga seu carro e o de seu companheiro de Mclaren Senna pra fora da pista, Com ajuda dos fiscais este último consegue retornar e vencer a prova, mas é desclassificado por Jean-Marie Balestre, presidente da FISA. Senna perde o campeonato e Prost é campeão, alegando que a colisão não fora de propósito. Em pé de guerra com Balestre Senna se revolta e é punido quase ficando de fora da temporada de 1990 até se retratar oficialmente com o dirigente, que segundo ele queria favorecer seu compatriota francês.

Mas o ato final ocorreu no mesmo Grande Prêmio do Japão daquele ano, após Prost abandonar sua antiga equipe e ir para a Ferrari. Dessa vez Senna joga seu carro e o de Prost pra fora da pista e se sagra campeão do mundo pela segunda vez. Dessa vez é Prost quem se revolta. Todo o incidente teria sido um golpe fatal na credibilidade de Balestre na F-1.

O dirigente e se afasta e anos depois teria admitido que prejudicou Senna em 1989. Mas talvez  o mais inusitado seja que anos depois, com a aposentadoria de Prost no fim da temporada de 1993, ele e Senna passam por cima das suas diferenças, se aproximam e se tornam grandes amigos, pouco antes da morte do piloto brasileiro.








5 - Senna nos Braços da Torcida


No Grande Prêmio do Brasil de 1993 aconteceu de tudo. As Williams de Prost e Damon Hill dominavam e a Mclaren de Senna naquela época não chegava nem perto delas. Foi quando caiu um verdadeiro aguaceiro em Interlagos que mudou completamente a história da corrida. O temporal foi tão intenso que por alguns instantes parecia que o dia havia virado noite.

Afinal de contas, nunca na história um piloto se arriscou tanto em aquaplanagem como Ayrton Senna com resultados tão positivos. Para coroar de vez sua segunda vitória no Brasil a torcida saiu das arquibancadas e invadiu a pista para comemorar com o ídolo. Chega a ser surreal ver aquele povo todo no meio dos carros.







4 - O Duplo Duelo de Ponta a Ponta Contra Mansell 


Nigel Mansell também foi um dos grandes rivais de Senna e protagonizou contra ele pelo menos duas corridas antológicas. Na Espanha em 1986 e em Mônaco em 1992. Na primeira Mansell com a Ferrari e Senna com a Toleman. Na segunda Mansell com a Williams e Senna com a Mclaren. O que elas tem em comum, além dos pilotos? Em ambas os dois disputaram a vitória por milésimos de segundo, tais como dois jóckeys disputando nariz a nariz com seus cavalos uma corrida no Hipódromo.

Parece incrível, mas pelas imagens chegava a ponto de você não saber onde terminava o carro de um e começava o do outro tão acirrada foi a disputa pela liderança. Parece até quando éramos crianças e brincávamos de carrinho. Só que eram reais.







3 - Interlagos 1991 - O GP da Dor


Enquanto Prost já havia ganho em Interlagos várias vezes, Senna jamais conquistara uma vitória no Brasil. Movido por esse desejo irrefreável de ganhar diante de sua torcida o piloto protagonizou um dos momentos mais comoventes e dramáticos do automobilismo. Quando estava ganhando a prova a Mclaren falhou e ele ficou apenas com a sexta marcha, segurando o carro no braço com uma força que ninguém sabe de onde tirou. O piloto chegou a segurar a alavanca de câmbio com a mão direita e pilotar com a esquerda, enquanto a Williams de Ricardo Patrese se aproximava. A brava resistência do brasileiro foi mais uma vez premiada com a chegada da chuva que fez a prova ser encerrada duas voltas antes. Só aí perceberam o estrago que Senna havia se auto infligido.

Completamente exausto e com muitas dores não conseguia sair do carro sozinho. Após um atendimento médico tornou-se marcante a imagem de Senna no pódio com dificuldade de levantar o troféu devido ao esforço, e com a dor expressa no rosto.







2 - Donington Park 1993 - A Volta Mágica



  "Quero fazer algo de especial. Todo ano alguém ganha o título. Eu quero ir além disso." 

 E foi assim que no Grande Prêmio da Europa de 1993, no circuito de Donington Park, mais uma vez debaixo de chuva, mais uma vez com um carro inferior, mais uma vez atrás de Alain Prost, Senna deixou o seu maior legado: uma verdadeira obra-prima das corridas carro, debaixo de muita chuva e em meio a uma névoa espessa que chegava a fazer com que as pessoas temessem que o GP fosse cancelado.

Largando em quarto e caindo para quinto após quase ser jogado para fora da pista por Schumacher, Senna pinta e borda ultrapassando quatro carros em uma única volta (entre eles três campeões mundiais, Schumacher, Hill e Prost, além de Karl Wendlinger). Daí foi até a vitória. Detalhe: até então Donnington Park, que ficou marcada pra sempre por essa corrida, era bastante criticada por ser considerada uma pista sem pontos de ultrapassagem.

Até hoje esse momento extraordinário é considerado por muitos a Melhor Volta da História da Fórmula-1.


Agora a grande ironia: como a Sega foi a patrocinadora da corrida, Senna recebeu um troféu especial... em forma de Sonic, o ouriço velocista dos Games.







1 - Ayrton Senna Salva Eric Comas


De todos os momentos célebres do piloto brasileiro, sem dúvida nenhum é tão pungente quanto sua história com o piloto francês Eric Comas. Quando o carro de Comas bateu durante os treino para o GP da Bélgica de 1992 Senna foi o único que parou sua Mclaren, atravessou a pé uma pista cheia de carros em alta velocidade vindo em sua direção e correu até o carro do amigo. O motivo: Comas havia desmaiado, mas ainda mantinha o pé no acelerador. Seu carro provavelmente explodiria em questão de tempo. Mesmo estando parados no meio da pista Senna tirou o pé dele do pedal e amparou sua cabeça até os fiscais chegarem para socorrê-lo.



Dois anos depois Comas tentou repetir o gesto e salvar a vida de Senna, sendo o único piloto a desobedecer as ordens da direção da prova e ir até a Curva Tamburello. Infelizmente não se podia fazer mais nada. Mesmo acompanhando Senna na ambulância ele não conseguiu salvar a vida do amigo.











2 comentários:

Anônimo disse...

ae corto volta pro mdm zuar aquele fdp do catena nao tem graça, sentimos sua falta prometemos pegar leve com vc por 2 post e um podcast(um mes sem falar mal do batema e do pau no cu do nolan)

Artur Chaves disse...

Parabéns pelo post, Corto. Muito bom.
O podcast sobre os 75 anos do "Batíma" poderia ter sido 10X melhor com você.

Postar um comentário

Todos os comentários e críticas são bem vindos desde que acompanhados do devido bom senso.