quarta-feira, 30 de abril de 2014

Climatinê: O Espetacular Homem-Aranha 2 - A Ameaça de Electro

por
Macgaren

Dia 15 de abril compareci em nome do blog Aracnofã à Cabine de imprensa para conferir o aguardado O Espetacular Homem-Aranha 2. Então vamos a algumas impressões sobre o filme.

O texto pode conter alguns pequenos spoilers.



Primeiramente vamos exorcizar os fantasmas e começar pelos pontos fracos:

Eu gostei do primeiro Amazing Spider-Man mas um dos maiores pontos fracos do filme foi a trilha sonora e achei que com a adição do Hans Zimmer, que é um baita compositor, isso iria melhorar mas infelizmente não acontece. Não há nenhuma música que se destaque e marque.

Todos que me conhecem sabe que
odeionão sou lá muito fã de histórias de romance.  Essa é, inclusive minha maior crítica à trilogia que o Raimi transformou em novela de dramalhão mexicano. No primeiro Amazing, o Webb soube inserir esse tema sem tornar o ponto principal e absoluto da história. Nesse segundo esse elemento foi ampliado e ficou no limiar do aceitável (por mim). O que ajudou a minimizar o fato é que a química entre o Andrew Garfield e a Emma Stone é muito boa (Não a toa os dois são um casal na vida real). Mas ainda que o plot romântico tenha sido consideravelmente aumentado, ainda assim não cometeram o mesmo erro da Trilogia anterior e O Espetacular Homem-Aranha 2 não chega a ser um “Gwen Stacy loves Spider-Man”.


Falando do roteiro propriamente dito, ainda não vou com a cara do plot envolvendo os pais do Peter.  Sabe-se lá o que estão tramando mas acho que os minutos gastos com isso podiam ser melhor utilizados.

Outro ponto que me incomodou foi o Electro. Pra um  vilão que nomeia o sub título do filme, achei que sua motivação foi muito besta. De fazer frente a  idiotices como uma viuvez pro Dr. Octopus ou uma família infeliz pro Homem-Areia . Esse negócio de “mimimi sou coitadinho. Mimimi ninguém liga pra mim. Mimimi ninguém me nota” … Tudo bem que o Electro não é lá um vilão muito profundo nos quadrinhos mas não precisam chutar o balde.

Ah e antes de partir pra parte boa, preciso manter uma tradição minha e reclamar do 3D. Continuo não vendo (Nem o Demolidor) utilidade pra essa técnica além de aumentar o preço do ingresso.



Bom. Mas chega de choradeira e vamos pra diversão:

Quem conhece o Homem-Aranha dos quadrinhos sabe que uma das maiores características do personagem é o bom humor. Não vou nem mencionar o chorão apaixonado da trilogia do Raimi mas no primeiro Espetacular Homem-Aranha ao menos tentaram demonstrar esse lado com o Aranha fazendo uma piadinha aqui outra ali. Mas ainda era pouco. Neste segundo filme finalmente acertaram o tom: O Homem-Aranha está tagarela e uma verdadeira metralhadora de piadas que dá gosto de ver. Ele praticamente não cala a boca para desespero dos pobres vilões.

E falando nos vilões, diferente de Homem-Aranha 3, o fato de ter muitos vilões não torna a coisa corrida. Os três têm seus momentos definidos: Como esperado, o Electro é o grande vilão do filme e o que tem mais destaque. O Rhino e o Harry transformado, somados não ocupam 15 minutos de filme mas cumprem o papel. Aliás, aqui preciso elogiar o trabalho do Dane Dehaan que interpreta o Harry Osborn:  Assim como no ótimo Poder Sem Limites, o ator consegue começar  como um adolescente introspectivo até virar o lunático desenfreado cujo visual causou tanta comoção e chiadeira dos fãs (se bem que: O que não causa mimimi de fãboys?). Mas calma que em nenhum momento se referem a ele como “Duende Verde” e rende uma boa (e rápida) luta com o Aranha.

Já que mencionei lutas, elas são o ponto alto do filme. Quando assistiu aos 30 minutos do filme há algumas semanas, o companheiro de Aracnofã Monio mencionou que a luta com o Electro era de encher os olhos. E preciso concordar com ele: Os dois confrontos com o vilão elétrico são fantástico com o Aranha não só esmurrando o Azulão como salvando os transeuntes incautos no processo. Os efeitos especiais estão praticamente perfeitos. Digo praticamente por que há uma cena em que fica nítido que são dois bonecos se catiripapeando. Mas nada que atrapalhe.


No mais, há diversas referências a personagens e locais do universo Aracnídeo que podem ser explorados mais pra frente. O “núcleo” do Clarim novamente não aparece efetivamente no filme mas o Jameson é citado algumas vezes e, mesmo não dando as caras, o Editor do Clarim Diário consegue provocar risada em determinado momento apenas porque você sabe como é a personalidade do velho J.J.J.

Ao trazer um Homem-Aranha mais cômico, ótimos atores e um roteiro com alguns furos mas que explora e desenvolve os personagens principais, O Espetacular Homem-Aranha 2 se torna um dos melhores filmes já feito com o Amigão da Vizinhança. Utilizando o sistema de notas que adotamos nos Thwipviews, merece 7 cartuchos de teias.

E não esqueça que nós do site Aracnofã estamos planejando um encontro entre os Aracnofãs de São Paulo que quiserem assistir ao filme com a gente no dia 3 de Maio. As informações estão neste post.


Comentário pós créditos:

Sobre a pergunta que todos devem estar se fazendo: “Gwen Stacy morre ou não”? Aconselho a se segurarem e tentarem não descobrir antes do filme afinal, os 49238490272 videos que divulgaram já mostraram  o filme literalmente da primeira à última cena.  Guardem  pelo menos o destino da loirinha como uma surpresa no filme.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários e críticas são bem vindos desde que acompanhados do devido bom senso.